Por que Jejuar?

janeiro 14, 2016 0 Comentários A+ a-



“Mas a vereda dos justos é como a luz da aurora, que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito.” Pv. 4:18

 Podemos comparar a vida com Deus com uma escada e seus degraus! Somos motivados e chamados a viver uma vida espiritual cada vez mais elevada, no sentido de buscar sempre um novo conhecimento, um novo dom, um novo desafio, para assim estarmos cada vez mais perto de Deus e de Sua vontade; e nesta escada espiritual, temos alguns degraus que nos levam para mais perto do Senhor e que já são bastante conhecidos: o degrau da “leitura bíblica” e o degrau da “oração”.  Até mesmo o mais novo cristão, ainda menino na fé, os conhece e tem se achegado a Deus pelo poder destes degraus, indiscutivelmente necessários, poderosos e eficazes em nossa caminhada de fé!

Porém, quero salientar um terceiro degrau, não muito propagado entre o povo de Deus, e pouco utilizado entre os cristãos contemporâneos, mais extremamente importante na vida daqueles que querem mais de Deus, mais do Seu poder, e mais da Sua presença: o degrau do “jejum”.

Santificai um jejum, convocai uma assembléia solene, 
congregai os anciãos, e todos os moradores desta terra, 
na casa do SENHOR vosso Deus, e clamai ao SENHOR.” Joel 1:14

Após se achegar a Deus na meditação da Sua palavra, e pelas orações, aprendemos na Bíblia que podemos e devemos acrescentar em nossa disciplina espiritual sacrifícios de jejuns com os seguintes propósitos:

1. Expressar a Deus a tristeza do seu coração, sua dependência dEle e assim alcançar o Seu favor

“E em todas as províncias aonde a palavra do rei e a sua lei chegava, havia entre os judeus grande luto, com jejum, e choro, e lamentação; e muitos estavam deitados em saco e em cinza.” Ester 4:3

“E eu dirigi o meu rosto ao Senhor Deus, para o buscar com oração e súplicas, com jejum, e saco e cinza.” Daniel 9:3

Em toda a Bíblia vemos o jejum como uma expressão de tristeza diante de Deus, por causa de uma situação adversa, difícil ou até mesmo impossível de serem resolvidos aos olhos humanos - situações onde só mesmo o próprio Deus poderia reverter, e Ele, ao ver toda essa expressão de fé e dependência, entra com a Sua providência e manifesta o Seu poder. Foi assim ao livrar o povo de Israel por diversas vezes das ciladas dos inimigos, como relata o livro de Ester e Daniel.

2. Cumprir com a Palavra de Jesus e buscar a Sua Presença

"Ora, os discípulos de João e os fariseus jejuavam; e foram e disseram-lhe: Por que jejuam os discípulos de João e os dos fariseus, e não jejuam os teus discípulos? E Jesus disse-lhes: Podem porventura os filhos das bodas jejuar enquanto está com eles o esposo? Enquanto têm consigo o esposo, não podem jejuar; Mas dias virão em que lhes será tirado o esposo, e então jejuarão naqueles dias.” Marcos 2:18-20

Enquanto Jesus estava entre os discípulos não havia motivos para jejuar, para se entristecer, mas a partir do dia em que subiu aos Céus, e voltou para o Pai, os discípulos se entristeceram pela ausência do Mestre, e a partir de então, jejuaram para cumprir com a Sua Palavra, e de alguma forma se manter focado nas coisas do alto.

“Mas, como é santo aquele que vos chamou, 
sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver;” I Pedro 1:15

Quando estamos em períodos de jejum, estamos com nossas mentes e corações voltados para o Senhor. Nos tornamos mais sensíveis para ouvir a Sua voz e obedecer os Seus mandamentos. Abrindo mão de nos alimentarmos daquilo que gostamos, ou durante um certo período do dia/semana, criamos um mecanismo muito eficaz para estarmos conectados com o Pai.

“E disse Cornélio: Há quatro dias estava eu em jejum até esta hora, orando em minha casa à hora nona. E eis que diante de mim se apresentou um homem com vestes resplandecentes, e disse: Cornélio, a tua oração foi ouvida, e as tuas esmolas estão em memória diante de Deus.” Atos 10:30-31

Por conta de toda a sensibilidade espiritual que o jejum traz ao nosso coração, podemos obter muito mais experiências com o Senhor, assim como Cornélio teve. Definitivamente é um sacrifício de louvor que nos conduz para mais perto de Deus!

3. Capacitar para a obra de libertação

“Então foi conduzido Jesus pelo Espírito ao deserto, para ser tentado pelo diabo. E, tendo jejuado quarenta dias e quarenta noites, depois teve fome.[...] Então o diabo o deixou; e, eis que chegaram os anjos, e o serviam.” Mateus 4:1,2,11

Jesus, antes de enfrentar sua grande luta contra satanás, e posteriormente vir a vencer a própria morte, buscou capacitação e preparação espiritual com jejuns e orações.

“E, repreendeu Jesus o demônio, que saiu dele, e desde aquela hora o menino sarou. Então os discípulos, aproximando-se de Jesus em particular, disseram: Por que não pudemos nós expulsá-lo? [...]Mas esta casta de demônios não se expulsa senão pela oração e pelo jejum.” Mateus 17:18,19,21

Se existe algo que podemos fazer para que amarras e cadeias sejam desfeitas e opressões demoníacas sejam repelidas, isto seria o jejum - assim como o próprio Jesus já nos avisou! 

Hoje o Senhor quer nos alertar para essa realidade! Precisamos amadurecer espiritualmente e subir mais um degrau de nossa escada espiritual, rumo ao cumprimento de toda a vontade de Deus! 

“Vós sereis meus amigos, se fizerdes o que eu vos mando.” João 15:14

Se a oração e a leitura da Palavra já faz parte da sua disciplina espiritual, inclua agora o jejum! Se há tempos você parou de praticar este ensinamento, hoje é o tempo de cumprir com Joel 1:14: Santifique um Jejum! 

Santifique um jejum por você mesmo! Abra mão de alguma refeição para estar mais perto do Senhor! Ou para interceder por aqueles que ainda não foram libertos pelo Senhor.  Abra mão de algum tempo de televisão, internet ou algum outro lazer para buscar mais a presença de Deus, e quando você o fizer, e estiver quebrantado o suficiente, aí será quando estará pronto para jejuar por batalhas maiores.