Em defesa do Evangelho.. e se fosse você?

janeiro 16, 2017 2 Comentários A+ a-


 “Com que poder ou em nome de quem vocês fizeram isso?” Atos 4.7

Podemos dizer que nesta passagem de Atos temos o registro da primeira perseguição a Igreja de Cristo, que se deu em Jerusalém, iniciada por volta das 15h, horário da oração e do sacrifício da tarde, por causa de uma cura que Deus operara em um senhor paralítico com mais de 40 anos de idade, por meio de Pedro e João, na entrada do Templo, no portão chamado Formosa, próximo ao átrio dos gentios e o das mulheres.
Pedro e João, por meio deste sinal, conseguiram atrair a atenção de uma multidão, e então Pedro pregou o Evangelho de Cristo para eles, atribuindo todo louvor, mérito e poder daquela cura ao nome de Jesus; falou-lhes sobre a morte de Jesus, a culpa de Israel por isso, Sua ressurreição, e os chamou ao arrependimento para perdão de seus pecados para que assim alcançassem uma nova vida de refrigério em Cristo.
Como resultado deste tumulto no Templo, Pedro e João são levados presos pelo capitão do templo, a mando dos sacerdotes, e dos saduceus, que discordavam da doutrina da ressurreição, e também para colocar inicio as palavras proféticas de Jesus, que já havia predito:

"Tenho-lhes dito tudo isso para que vocês não venham a tropeçar. Vocês serão expulsos das sinagogas; de fato, virá o tempo quando quem os matar pensará que está prestando culto a Deus.” 
 João 16:1,2

"E de todos serei odiados por causa do meu nome" Lucas 21.17

Este relato me traz algumas perguntas de confronto a minha própria vida:

QUAL TEM SIDO O MEU TESTEMUNHO COMO CRISTÃ? COMO EU TENHO DEFENDIDO O EVANGELHO?

Os primeiros 300 anos de anúncio do evangelho foram defendidos pela Igreja de Cristo com o próprio sangue dos mártires, fruto da perseguição dos judeus e pagãos contra os cristãos - O evangelho foi defendido com a própria vida!

Te convido a passear abaixo pelos períodos imperiais que seguiram pela História dando continuidade a perseguição contra  a Igreja de Cristo e alguns exemplos de homens e mulheres que morreram para defender a fé e o Evangelho de Cristo:

1.  Império de Nero (54 a 68 d.C.) –mártires:  Paulo, Pedro, Erasto, Ananias bispo de Damasco.

2. Império de Domiciano (81 a 96 d.C.) –mártires: Dionísio bispo de Atenas e Timóteo bispo de Éfeso, discípulo de Paulo.

3.  Império de Trajano (98 a 117 d.C.) –mártir: Inácio bispo de Antioquia – observe abaixo algumas de suas declarações e desde já indico a leitura de suas cartas disponíveis na internet:
“Sou trigo de Cristo, e serei moído pelos dentes das feras para ser achado como pão puro”
“Agora começo a ser um discípulo. Nada me importa das coisas visíveis e invisíveis para poder somente ganhar a Cristo”.

4. Império de Adriano (117 a 138 d.C.) – mártires: Alexandre bispo de Roma e Eustáquio comandante romano mas cristão de coração.

5. Império de Marco Aurélio (161 a 180 d.C.) – mártires: Justino, Blandina, Felicitate, e Policarpo bispo de Esmirna que declarou antes da sua morte: “Servi ao Senhor por 85 anos e Ele nunca me faltou. Como posso agora blasfemar contra Ele?”

6. Império de Sétimo Severo (193 a 234 d.C.) – mártires: Vitor, Calixto e Urbano bispos de Roma, Leônidas pai de Orígenes e Perpétua, Felicitas e Cecília.

7. Império de Maximino (235 a 238 d.C) – mártires: Pontiano bispo de Roma e Hipólito. Muitos cristãos eram enterrados juntos na mesma cova, sem a descriminação de seus nomes.

8. Império de Décio e Valeriano (249 a 260 d.C.) – mártires: Dionízio, Orígenes, Ágata, Lourenço, Cipriano bispo de Catargo e Nicômaco que declarou antes da sua morte: “Não posso dar a demônios a reverência devida só ao Todo Poderoso”

9.  Império de Aureliano, Tácito, Probo e Caro (274 a 283 d.C.) – mártires: Felix bispo de Roma e Agapito.

10. Império de Diocleciano, Maximiano, Constancio e Galério (284 a 305 d.C. período de ódio máximo aos cristãos) – mártires: Legião cristã Tebana – 6.666 soldados executados por se recusarem adorarem o imperador Maximiano; Susana sobrinha do bispo de Roma Caio, se recusou a casar com um nobre pagão e morreu; outros mártires foram: Alban primeiro mártir britânico; Quintino; Sebastião de Narbona; Vitor de Marselha/França; Taraco, Probo e Andrônico; Romano diácono da Igreja de Cesaréia; Justina; Eulália; Anfiano, Julita, Eustrátio, Nicander e Marciano; Quirínio bispo de Siscia; Pânfilo de Fenícia; Jorge da Capadócia entre muitos outros.

A partir do império de Constantino (306 a 377 d.C.), o Cristianismo foi oficializado, a Igreja elevada ao poder do Estado/Império, e as perseguições aconteceram a partir de então não mais em defesa do evangelho, mas em defesa do poder político: As cruzadas, em busca de novos territórios, e a Inquisição Católica (sec.XII) em busca de “hereges” que discordavam das doutrinas e da liderança da igreja – morreram neste processo os Valdenses, reformadores protestantes no século XVI, entre outros.

E quando pensamos que este período de perseguição ao Evangelho acabou e ficou lá na História, nos deparamos com uma realidade muito pouco divulgada para os cristãos – a Igreja Perseguida atual – na qual milhares de cristãos continuam sendo perseguidos e mortos por facções criminosas de outras religiões e impérios, que tentam pela intimidação e terror colocar fim ao Evangelho de Cristo.

A organização Portas Abertas* nos traz alguns dados chocantes, que vão colocar o nosso evangelho vivido a prova, e vai nos fazer perguntar a nós mesmos: E SE FOSSE EU? NEGARIA O NOME DE JESUS E FICARIA VIVO, OU MORRERIA PARA DEFENDER O EVANGELHO???

-Agosto/2008: Mais de 50 cristãos mortos em um ataque a 300 vilas na Índia.
-2009: Jovens mortos na Somália e moças estupradas por confessar a fé em Jesus.
-Fevereiro/2015: 21 cristãos egípcios mortos na Líbia pelo Estado Islâmico.
-Abril/2015: 146 cristãos mortos na Universidade de Garissa/Quênia. Frederick, um dos sobreviventes diz que um tipo de prova fora feita na universidade e para ser aprovado, a pessoa deveria dizer que era mulçumano, do contrário, seria morto a tiros.
-Agosto/2015: a jovem Noviana atacada a caminha da sua escola cristã.
-Na Córeia do Norte, a jovem Liu Kianzhi foi presa, torturada por 6 anos por ser cristã.
-Em 2015, foram 7.106 cristãos mortos e 2.425 igrejas atacadas*

>>> Dezembro/2011: Na véspera de Natal, Pr Umar Mulinde, ex-mulçumano, 38 anos, sobreviveu a um ataque por extremistas mulçumanos, tendo queimaduras de ácido pelo rosto e corpo. Testemunho online disponível no YouTube.

Existe um problema gravíssimo no Evangelho pregado no Brasil e no ocidente em geral: ele é muito FÁCIL! Será que a nossa geração suportaria uma PERSEGUIÇÃO? Será que a nossa geração sabe o que é RENÚNCIA? Será que a nossa geração tem ousadia para desobedecer a lei dos homens para obedecer a Deus?

§  Defenda o evangelho com a sua vida!
§  Defenda o evangelho com suas prioridades!
§  Defenda o evangelho com as suas renúncias!
§  Defenda o evangelho honrando ao nome de Jesus!
§  Defenda o evangelho mantendo-se firme na sã doutrina revelada na Palavra!

O evangelho no Brasil tem sido pregado distorcidamente e isto já tem enfraquecido a muitos. Já somos milhares de cristãos desigrejados, desiludidos com o evangelho que receberam e para isto mudar, depende de mim, do meu testemunho, depende de VOCÊ!

Pregue a VERDADE da Palavra, não aquilo que convém! Viva coerentemente com os princípios do Reino de Deus!

A perseguição contra a Igreja nunca acabou e não vai parar: “Se fiel até a morte, e dar-te-ei a coroa da vida” Apocalipse 2.10.

2 comentários

Deixe seus comentários
31 de janeiro de 2017 19:05 delete

Lainy Anselmo, parabéns pelo seu post, excelente e é top, mas gostaria de sugerir que acrescentasse mais um item, que é o "Massacre na noite de Bartolomeu" na França, em 24/08/1582, onde milhares de protestantes morreram pela perseguição religiosa política, que pode ser pesquisada como "Guerra Religiosa" em que durou décadas; começando o conflito em 1562 e terminou em 1598 com o "Edito de Nantes", o que foi abolido em 1685, voltando assim os conflitos e a perseguição aos protestantes, o que forçou os "Huguenotes" fugirem para a Prússia, Holanda, Ilhas Britânicas, Suíça e até para a América do Norte. Outro "Edito" de tolerância deu os direitos civis e religiosos aos protestantes, a ponto de participarem da "Revolução Francesa", direitos esses dados por Napoleão Bonaparte em 1802. Bibliografia: CHAMPLIN, Russell Norman. Enciclopédia de Bíblia Teologia e Filosofia. V. III. Ed. Hagnos, 9ª Edição, 2008, São Paulo, 935 P, P. 171-172.

Resposta
avatar
Lainy Anselmo
Autora
13 de novembro de 2017 16:57 delete

Olá Flávio! Muito obrigada pelo retorno e já deixo seu comentário exposto para que esta informação tão preciosa seja acessada por todos que lerem este post, que infelizmente é uma triste realidade para nós cristãos! Que Deus continue te abençoando!

Resposta
avatar