Carta ao meu filho Arthur | Testemunho

setembro 28, 2017 0 Comentários A+ a-



“Por este menino orava eu; 
e o Senhor me concedeu a minha petição que eu lhe tinha pedido.” 
I Samuel 1.27a

Faz exatamente seis meses e vinte e cinco dias que você Arthur entrou na minha vida de uma forma sobrenatural, como um daqueles episódios do Discovery: “eu estava grávida e não sabia” – mas antes de lembrar daquele dia em que você entrou no meu mundo, quero testemunhar sobre o dia em que você foi gerado – ou posso dizer os dias, pois por várias vezes me ajoelhei diante de Deus e pedi por um filho.

Prestes a completar dez anos de matrimônio, não foram poucas as vezes em que eu e seu pai ouvimos as perguntas: “E aí? Quando vem o herdeiro? Vai ter filho não?” – e a resposta sempre foi a mesma em um tom de brincadeira mas com um profundo desejo de verdade: “no final do ano!”. No início do casamento era algo descontraído, não colocávamos nossas expectativas na maternidade, pois ainda curtíamos nossa vida a dois, porém, com o passar dos anos, nosso sentimento sobre isso foi mudando e nosso coração desejava mais forte que a maternidade chegasse trazendo nosso bebê.

Já tínhamos alcançado a marca de nove anos de matrimônio em julho de 2016, quando percebemos então que seria necessário levar a Deus este desejo de sermos pais e também buscar orientação na medicina sobre o que poderia estar atrapalhando este sonho; e assim então eu fiz – orei ao Senhor confessando minha dependência nEle, pois sabia que Ele é o Deus da vida e que a medicina não seria capaz de gerar uma criança dentro de mim – mas também entendia que Ele mesmo capacitara homens com inteligência para nos ajudar contra as enfermidades, e que eu me submeteria a eles em busca deste sonho, porém, entendendo que a vontade de Deus seria soberana na minha vida, por isso, eu permaneceria O adorando e O servindo, independente das circunstâncias, da forma em que eu estava fazendo até então... e, como uma filha que compartilha seus sonhos com seus pais, eu compartilhei com Ele que desejava ser mãe de um menino, e que, se Ele tivesse o propósito de levantar mais alguém em Seu reino, para amá-lO, serví-lO e fazer a diferença nesta sociedade proclamando e vivendo o Evangelho, eu ficaria extremamente honrada e feliz em ser mãe deste novo servo dEle, e em vindo um menino, eu saberia exatamente que ele seria resposta daquela específica oração; e recebendo dEle este menino, para sempre eu o dedicaria ao Senhor (sim! Ana foi meu exemplo bíblico para tal atitude).

Basicamente esta era minha oração diária em meu coração para que você viesse a este mundo, motivada pela certeza que seria uma enorme alegria ter você entre nós, alegria ainda maior para seu pai, e também para minha mãe (sua avó); e nesta motivação permaneci orando, e também recebendo oração de alguns que sabiam deste sonho.

Um mês depois de comemorar minhas bodas de cerâmica iniciei um tratamento hormonal que abaixaria meu nível de prolactina para o nível 10 para que assim então houvesse a possibilidade de uma gestação (esta foi a solução dada pelo endocrinologista), mas, creio que Deus não considerou agir conforme os padrões da medicina, e mesmo meu nível hormonal passando da faixa de 200 (sim! 20x mais alta que o normal), você Arthur sobrenaturalmente foi criado dentro de mim em meados do mês de setembro. Glória seja dada ao Deus da Vida!

E quando digo que você Arthur está em meu mundo a seis meses e vinte e cinco dias é por que foi exatamente no dia 02 de março de 2017, quando após alguns dias observando a barriga “inchada”, me submeti a uma ultrassonografia para saber o que havia comigo – e a notícia não poderia ser mais maravilhosa – GRÁVIDA DE UM MENINO e com 23 SEMANAS! Claro que foi um susto enorme e sem precedentes, choque total para mim, para seu pai, e para todo mundo ao nosso redor, pois como seria possível estar grávida por mais de 5 meses e não sentir absolutamente nada!? Pois assim foi... durante todo aquele tempo, já grávida de VOCÊ e sem saber, não houve nada que eu deixasse de fazer, ou comer, nem um sinal óbvio de gravidez; minha vida normal seguia na direção que o endocrinologista havia sinalizado: taxa hormonal da prolactina tem que chegar a 10 pra ter possibilidade de gravidez...

Eu não poderia estar mais feliz! Não! Não tinha mais espaço em mim que coubesse mais felicidade! Sentir você mexer e crescer dentro de mim foi sentir um milagre vivo de Deus e na mesma proporção, senti um grande temor deste Deus que havia respondido minha oração! Vi a intervenção divina na sua gestação, que providenciou um perfeito ambiente dentro de mim para que você Arthur fosse gerado, e não somente isso, para que você se mantivesse dentro de mim, pois por não saber que eu estava grávida, realizei váááárias tarefas consideradas perigosas para a saúde de um bebê (inclusive cair escada abaixo quando você só tinha 3 meses!), mas Deus esteve em todo o tempo cuidando da sua vida, para que a vontade soberana dEle prevalecesse e para que no tempo dEle, você viesse ao mundo para realizar Seu divino propósito – e isto aconteceu em 21 de junho de 2017, às 23h45m.

Por três meses e seis dias tenho você, um presente de Deus, em meus braços, e todas as vezes que olho para você, vejo como sou indigna da graça deste Deus que escolheu me abençoar pelo simples fato de que Ele é bom, e que não há nada absolutamente em mim que mereça esta bondade, mas Ele permaneceu fiel mesmo na minha infidelidade – a sua vida Arthur revela a grandeza deste Deus que gera vida a partir de qualquer ambiente e situação, e me mostra todos os dias que Ele é Deus de perto e não de longe, que nos ouve em todos os momentos, nas mais despretensiosas orações, ou nas mais específicas e objetivas, contudo, mantém a Sua soberana vontade, nos ensinando o poder da mais simples oração, aquela que Jesus nos ensinou: “Seja feita a tua vontade e não a minha”.

Eu pedi um menino que amasse a Deus, servisse a Ele por todos os dias de sua vida, que tivesse o caráter de Cristo moldado por Seu Espírito, e que fizesse a diferença nesta sociedade, e você veio Arthur! Cumpra com o propósito pelo qual você foi criado! Sê fiel ao Senhor pois Ele sempre sempre sempre será fiel a você! Honre a Deus com suas atitudes e palavras mesmo em meio a um mundo perverso! Seja corajoso! Tenha a Palavra de Deus como absoluta e última na sua vida, que ela seja lâmpada para seus pés e te faça caminhar em santidade e em contínua adoração a Jesus.

Eu te pedi ao Senhor, e ao Senhor te entreguei por que Ele é o único que pode cuidar e guardar perfeitamente. Quanto a mim, saiba que tens para sempre alguém para te amar sem medidas e te servir com toda dedicação, te doando meu tempo, força e conhecimento para te ver cumprindo seu chamado. 

Nunca se esqueça do quanto eu te amo e que você pertence ao Senhor!


*************





Consagração na Igreja Batista Comunhão em 24 de setembro de 2017